VC INVESTIDOR
Invista bem seu dinheiro

Como escolher Fundos de Investimentos

Saiba o que observar antes de escolher o seu Fundo de Investimento

0 96

 Como escolher Fundos de Investimentos

Fundos de investimentos são excelentes opções para o investidor iniciante e também para aquele investidor mais experiente, que já está por dentro do mercado, mas, sem tempo para administrar seu próprio dinheiro. Hoje veremos como escolher Fundos de Investimentos.

O mercado financeiro conta com bons produtos, dirigidos por gestores competentes e profissionais que vivem o dia a dia das finanças. Esses profissionais estão muito atentos ás mudanças dos cenários econômicos e que podem afetar os investimentos.

Mas como escolher um bom fundo de investimento e evitar roubadas? Selecionamos algumas dicas práticas para você seguir:

1 – Defina um objetivo financeiro:

Existe uma grande variedade de fundos de investimentos. Eles podem ser de renda fixa, referenciados, multimercados, ações e cambial. Cada uma das modalidades de fundos trabalha segundo diferentes estratégias de investimentos.
Mesmo dentro de uma mesma categoria como, por exemplo, renda fixa, haverá fundos que investem em crédito privado, outros que trabalham apenas com papeis pós-fixados do governo (LFTs), outros que vão trabalhar com papeis atrelados à inflação, etc.

Assim, a melhor forma de decidir qual fundo é melhor para você é pensar em “qual objetivo pretendo alcançar com aquele investimento?”. E então, escolher se expor a mais risco (fundos de ação, cambial e multimercado, renda fixa pré-fixada ou mista) ou menos risco (fundos de renda fixa pós fixados e referenciados).

2 – Lâmina dos fundos e requisitos básicos

Para escolher bem, o investidor deve sempre ler a lâmina dos fundos (material obrigatório com informações básicas). De também buscar entender qual estratégia adotada pelo fundo em questão. Não se trata de se transformar em expert no assunto, mas ter noção do que está fazendo. Afinal, é o seu dinheiro. Além disso, veja algumas informações básicas presentes nas lâminas:

Taxa de administração

Valor pago à gestora como remuneração ao serviço prestado. Compare e fique atento a esses valores. Por exemplo: se um fundo DI compra títulos de dívida pública (LFTs), no Tesouro Direto, e cobra mais do que 0,3% aa (valor cobrado pela B3 como taxa de custódia), você poderia estar fazendo isso sozinho.

Taxa de performance

Geralmente, fundos de ações e multimercados, além da taxa de administração cobram também uma taxa de performance (prêmio pago para o gestor que ultrapassar o benchmark). Esse benchmark é o índice de referência que o fundo busca bater ou segue. Normalmente, esse valor é de 20% do que exceder o CDI (para fundos de renda fixa ou multimercado). Já para fundos de ações, a taxa de performance costuma ser de 20% do que exceder do IBOVESPA.

Resgate e liquidação

Fique atento para os prazos referentes ao resgate do dinheiro e também para liquidação. Exemplos: resgate em D+27. Isso significa que você pedirá seu dinheiro no dia x, mas ele só será cotizado daí 27 dias. Dessa forma, o valor da cota será disponibilizado no vigésimo sétimo dia útil e não no dia do pedido.

3 – Índice de Sharpe

Um indicador interessante para verificar o desempenho de fundos é o índice de Sharpe, que oferece ao investidor a relação retorno/risco. Ou seja, quanto risco foi preciso assumir em relação ao indicador livre de risco (CDI, por exemplo, no caso da renda fixa).

Basicamente, quanto maior o índice de Sharpe, melhor o desempenho do fundo, no período analisado. Contudo, fundos que trabalham com ativos de alta volatilidade como ações e multimercados podem ter um Sharpe mais baixo e, no entanto, serem bons produtos.

4 – Ferramentas de comparação de fundos:

A internet tem várias ferramentas online para o investidor comparar o desempenho de fundos. Para usá-las bem, lembre-se apenas de sempre comparar produtos com as mesmas características. Não vale, por exemplo, comparar o fundo de renda fixa crédito privado com um fundo de ações. Também não vale fazer a comparação usando apenas o último ano de desempenho. Ainda que o histórico do fundo não garanta que a rentabilidade posterior seja equivalente, compensa ver como a gestão se saiu ao longo dos anos. No site da corretora XP, por exemplo, existe um excelente comparador de Fundos.

Conclusão

Investir em Fundos de Investimento pode ser uma boa opção de investimento. Porém, cuidados como comparar as taxas e observar os prazos de resgaste são sempre bem muito bem-vindos. Além disso, conhecer o gestor e o tipo de gestão que ele faz na carteira é muito importante para determinar o quanto aquele fundo pode ser interessante. Sobre qual a taxa de administração pagar, convido a todos a lerem o artigo ”Taxas de administração e produtos de bancos”, publicado no Blog da Capitalizo Consultoria Financeira.

Não esqueça de cadastrar seu e-mail para ficar atualizado com as novidades do mercado financeiro. Se ficou com alguma dúvida, fale com a gente. Confira também nossos E-Books Exclusivos e nosso Canal no Youtube.

 

Importante: Esse material é meramente informativo e não representa oferta, análise ou recomendação de Valores Mobiliários.

VC Investidor não comercializa nenhum produto de investimento. Todas as informações aqui divulgadas são a título informativo e educacional e são retiradas do material disponibilizado pelas instituições envolvidas. A VC Investidor não se responsabiliza pela precisão das informações e por quaisquer decisões de investidores. Lembrando que, rendimento passado não é garantia de rendimentos futuros.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Quer ficar bem informado sempre?